Cidades

Alba lulia, Roménia

Alba Iulia está situada no centro da Roménia, abrange uma área de 100 km2 e tem uma população de cerca de 63 500 habitantes. A partir de 1993, a produção e distribuição de calor por meio de sistemas centralizados em Alba Iulia, foi gerida por uma empresa, que em 1999 tornou-se Dalkia Romania Branch Alba Iulia. A empresa fez a gestão da produção, transporte e distribuição de energia térmica para água quente e aquecimento, onde o calor era produzido nas estações de aquecimento de blocos. 

Em 1993, a empresa fez a gestão de um total de 31 plantas de aquecimento urbano e uma rede que abrange 24,35km, servia 16 635 apartamentos em Alba Iulia e os bairros vizinhos. No entanto, os preços dos combustíveis aumentaram gradualmente e os proprietários decidiram cortar a ligação dos edifícios com as redes. Em 2011, 29 instalações de aquecimento urbano foram encerradas. Em 2012, as duas últimas instalações de aquecimento urbano operacionais foram encerradas. Hoje em dia, mais de 18 500 apartamentos possuem sistemas de aquecimento central, e destes cerca de 10% estão equipados com ar condicionado.

Intervenção do THERMOS em Alba Iulia:

Alba Iulia fez parceria com a cidade de Jelgava (Letónia), e juntamente com o apoio dos restantes parceiros THERMOS, pretende desenvolver um mapa de aquecimento e refrigeração da cidade, com o objetivo de reintroduzir redes de aquecimento modernas. Este trabalho envolve o mapeamento de toda a rede de instalações de refrigeração e as características dos sistemas de aquecimento dos apartamentos. O THERMOS tem como objetivo auxiliar a cidade no desenvolvimento de políticas, programas e incentivos para a reintrodução e atualização de redes modernas de aquecimento e refrigeração urbanas.

Página inicial da administração da cidade: www.apulum.ro/index.php/site/en

A photgraph of Alba Iulia in Romania seen from above.

Berlim, Alemanha (gestão feita pela Deutsche Energie-Agentur)

Berlim é a maior cidade da Alemanha e abrange uma área de quase 900 km2, com cerca de 3,5 milhões de habitantes. 

Aproximadamente 34% dos edifícios (mais de 600 mil moradias em mais de 50 mil edifícios), são alimentados pela rede de aquecimento urbano em Berlim, abrangendo cerca de 2.000km. As áreas de fornecimento estão localizadas por toda a cidade, altamente concentradas no centro e em áreas densamente povoadas a Este da cidade. Seis grandes operadores e numerosos pequenos operadores oferecem aquecimento urbano parcialmente produzido por energias renováveis e também por cogeração de calor e energia, bem como refrigeração urbana. Em áreas como Marzahn-Hellersdorf, os edifícios são exclusivamente aquecidos pela rede. Tendo como referência o ano de 1990, o objetivo previsto para 2050 consiste na redução das emissões de dióxido de carbono em 85%. Para tal, Berlim pretende assumir a rede de aquecimento urbano de Vattenfall, uma empresa de energia sueca, embora esta decisão esteja atualmente sujeita a disputas legais.

Intervenção do THERMOS em Berlim:

O THERMOS vai trabalhar em estreita colaboração com a Deutsche Energie-Agentur (Dena), com a Agência Nacional de Energia da Alemanha, e com a Câmara Municipal para desenvolver um mapa de aquecimento avançado para a região de Berlim, e testar como se pode integrar nas ferramentas de planeamento de rede existentes. Berlim tem parceria com Varsóvia (cidade piloto do THERMOS) e vai utilizar a sua experiência e conhecimento no assunto, de modo a explorar opções para novas redes de aquecimento e para a sua expansão em toda a cidade. Há também oportunidade para a Dena participar efetivamente no THERMOS, replicando soluções similares com outras cidades por toda a Alemanha.

Página inicial da administração da cidade: www.berlin.de

Página inicial da Dena: www.dena.de

A photograph of Corbusierhaus in Berlin.

Cascais, Portugal

Cascais é um município costeiro localizado em Portugal, a 30 km de Lisboa. Tem cerca de 206 500 habitantes e abrange uma área de pouco menos de 100 km2. 

Atualmente, em Cascais não há soluções comuns para aquecimento e refrigeração em redes urbanas. O método de aquecimento e refrigeração utilizado depende do tipo e da idade do edifício e das preferências do proprietário. Alguns edifícios têm sistemas de ar condicionado, outros possuem painéis solares fotovoltaicos e outros uma caldeira partilhada que fornece vários apartamentos. 

O planeamento urbano em Cascais centra-se na remodelação de áreas urbanas em deterimento de novas urbanizações. Em termos de infraestrutura energética, a eletricidade é fornecida através de uma rede comum, enquanto o gás é fornecido principalmente em botijas e parcialmente por via de uma infraestrutura subterrânea de gás natural.

Intervenção do THERMOS em Cascais:

O THERMOS tem como objetivo apostar na melhor compreensão do potencial de aquecimento/refrigeração urbano. Cenários de alterações climáticas a médio e longo prazo, apontam para um aumento das necessidades de refrigeração em Cascais, acompanhado da necessidade de aquecimento durante o inverno, portanto, estabelecer redes de refrigeração efetivas é tão importante como as redes de aquecimento. 

Página inicial da administração da cidade: www.cascais.pt

An image of the bay of Cascais, a large Portugese town near Lisbon.

Londres, Reino Unido (gestão feita pela Greater London Authority)

Londres é a capital do Reino Unido e o município com mais população da União Europeia. Abrange uma área de 1 500 km² e tem mais de 8 milhões de habitantes. 

Até 2025, o presidente da Câmara pretende entregar 25% do fornecimento de energia de Londres, a partir de energia descentralizada (ED). Para alcançar o objetivo, foram estabelecidos vários projetos para este tipo de energia, de modo a acelerar o processo de aceitação relativamente ao aquecimento urbano. Para tal, foi feito um mapeamento de calor e do planeamento de energia, potencial de construção, e políticas de planeamento de suporte que incentivem a ED. 

A “Greater London Authority“ (GLA), está a trabalhar em conjunto com outros bairros da cidade e parceiros privados, no desenvolvimento de oportunidades para projetos de energia descentralizada em grande escala. Um programa administrado pela GLA entre 2011 e 2015, levou ao mercado 13 projetos de aquecimento urbano com um valor superior a £100 milhões. Estima-se que este programa ofereça uma capacidade de instalação de 47,5 MWe e 105,3 MWth, fornecendo uma rede de aquecimento com um comprimento de 19,93 km, capaz de evitar a emissão de menos 43 904 tCO2  por ano. 

Como parte deste programa, foi publicado um novo conjunto de diretrizes para apoiar os sistemas de energia descentralizada na capital. O ‘Manual de aquecimento urbano para Londres‘ fornece orientações práticas para gestores, designers de redes e responsáveis de planeamento, com o objetivo de criar um quadro consistente para fornecimento de redes de aquecimento urbanas eficientes e interligadas. Atualmente, a GLA está a trabalhar no desenvolvimento de um programa sucessor.

Intervenção do THERMOS em Londres:

Como parceiro no projeto THERMOS, Londres vai partilhar o seu conhecimento sobre os sistemas de aquecimento e refrigeração urbanos em funcionamento na cidade, para alimentar dados, planos de projeto, e custos durante a fase de desenvolvimento do software THERMOS. Também terá um papel importante como cidade replicante dos métodos de planeamento THERMOS em 32 bairros da cidade, através da disseminação e formação na utilização do software.

Página inicial da administração da cidade: www.london.gov.uk

A photograph showing St Paul's cathedral in central London.